Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Primeiro Capítulo

Ciclo de encontros mensais de partilha entre pessoas que escrevem ou querem escrever.

O Primeiro Capítulo

Ciclo de encontros mensais de partilha entre pessoas que escrevem ou querem escrever.

As organizadoras

22.10.19, BeatrizCM

PhotoEditor_20191022_164321526.jpg

 

ELISA BALTAZAR

Nascida a 1980 e filha de professores, Elisa Baltazar cresce entre carpetes azul petróleo, papel de parede de cores garridas e formas geométricas arredondadas e livros. Livros que se acumulavam em todos os cantos da casa, escondendo parte dessa decoração kitsch em todas as divisões exceto na casa de banho e na cozinha.


Quando a esses se juntaram os de Alice Vieira, percebe o poder da palavra. Ou de como a ordem a que se juntam as palavras, pode fazê-la rir, chorar ou temer pela história de personagens ficcionadas.
É aos 9 anos, quando escreve uma carta reivindicativa à sua professora, que lhe vale a expulsão da sua escola, que percebe que também ela pode ter esse super poder.


Talvez pelos efeitos nefastos destas palavras específicas, anos mais tarde acaba por se dedicar a uma carreira rodeada de números e refrigerantes e assim passa grande parte da sua vida a trabalhar em departamentos financeiros de multinacionais de renome.
É autora do blogue Rebeubeu, pardais ao ninho, onde, tal como na vida, se refugia na comida para fugir a assuntos mais profundos. Escreve sobre restaurantes e publica fotos da sua cadela, uma outra arma, a da caça aos likes.


Aos 37 anos decide mudar e deixar os números, mas logo percebe que não basta decidir, é preciso fazer e, por isso, dois anos depois, arrasta a ainda inocente Beatriz Canas Mendes para um encontro que pretende reunir aqueles que gostam de escrever, um pouco à laia das tertúlias que muitos dos grandes escritores portugueses fariam em tempos idos, mas ligeiramente mais estruturada, porque aos 39 anos já não há tempo a perder.

 

BEATRIZ CANAS MENDES

Da colheita de Junho de '95, Beatriz Canas Mendes ainda se sente uma criança, principalmente quando escreve sobre si mesma na terceira pessoa. Criada na margem Sul, numa casa com uma divisão chamada "a Biblioteca" (apesar de os livros acabarem espalhados por cima de todos os móveis dos dois andares e do jardim), aos seis anos gastou os tinteiros da máquina de escrever da Barbie em dois dias, apenas com vontade de criar qualquer coisa. Ainda bem que os computadores e os telemóveis existem.

Durante a licenciatura em Letras, entre o jornalismo e o ensino escolheu o segundo, mas continuou sempre a escrever. Depois de se ter aventurado pela escrita de ficção e poesia durante alguns anos, há oito que tem o blog Procrastinar Também é Viver, sobre "trivialidades, actualidades e outras nulidades", onde vão cabendo pedaços do dia-a-dia desde a adolescência até ao presente, passando pela universidade e por dois anos a viver na Tailândia, e ainda livros, viagens e apontamentos sobre as pessoas que a rodeiam.

Lisboeta de coração e com a benção da Fertagus, Beatriz também é professora de Português para estrangeiros, eterna aluna, procrastinadora crónica e entusiasta de chocolate quente e de livrarias.

 

- O PRIMEIRO CAPÍTULO -

Facebook: https://www.facebook.com/pg/oprimeirocapitulopodcast

MeetUp: https://www.meetup.com/pt-BR/O-Primeiro-Capitulo/